Resenha: Extraordinário | Filme

Extraordinário filme

Extraordinário proporcionou emoção, reflexão e momentos tocantes para o público que assistiu ao filme, com esse pensamento essa Terça com Pipoca fala sobre essa estreia de Dezembro adaptada do livro de mesmo título, da autora R. J. Palacio. Onde os atores mirins surpreenderam e o filme mostrou descontração na medida certa para um assunto delicado.

Prestes a começar o ensino fundamental, na primeira escola da sua vida, August não é como as outras crianças de 10 anos. Ele possui uma deformidade facial, que fez com que seus pais sempre tentassem protegê-lo lecionando em casa. Porém, chegou a hora dele frequentar o mesmo ambiente que outras crianças da sua idade, a diferença é que nenhuma delas passou por 27 cirurgias.

Interpretado por Jacob Tremblay, Auggie Pulmann narra a maior parte da história e assim como no livro, é mostrada a perspectiva de vários personagens sobre a história que rodeia o menino. A atuação de Jacob em Extraordinário deve ser elogiada, a maquiagem estava ótima (confesso que imaginei sua deformidade um pouco mais intensa do que é mostrado no filme) e a questão do Bullying é um assunto e tanto. Pois mesmo sendo tão jovem, ele percebe os olhares e desvios de olhares que todos lançam para ele, as coisas que falam por trás e a exclusão que sofre na escola.

O apoio de Auggie é sua família e Miranda, melhor amiga de sua irmã. A família de Auggie é compreensiva demais e mostra o suporte necessário para todas as situações que ele vive. Um ponto do filme, assim como do livro é como as pessoas tratam o Bullying, mas acima disso como as crianças podem sim ser malvadas e machucar o outro de propósito. Vários aspectos se igualam ao livro, não fugindo do contexto e até mesmo, como citado, mostrando as perspectivas dos outros personagens.

Olivia Pulmann, irmã de Auggie, é interpretada por Izabela Vidovic e a atuação da garota surpreende nos momentos dramáticos do filme. No final, onde há o encerramento da escola de August e também na peça em que ela estreia em sua própria escola. A atriz sustentou o papel e atuou brilhantemente. Outra atuação de praxe é de Julia Roberts, que sustentou o papel e onde as cenas dela com Auggie conseguiram convencer o público que ela era uma mãe preocupada e dedicada.

Por ser um filme um dramático, não esperava-se cenas ricas em comédia – porém na medida certa, já que é narrado do ponto de vista infantil, foi introduzido em algumas cenas um simpático Chewbacca, imaginado pelo protagonista. O filme acertou colocando a medida certa, algumas cenas e comentários levemente engraçados.

Sobre o final: assim como no livro, é nos apresentado um final feliz e que tenta transmitir esperança para aqueles que se encontram em situações de Bullying e exclusão. Infelizmente, a realidade muitas vezes não é como retratado no final do livro/filme, mas a mensagem para aqueles que praticam atos como esse é clara: aceitar o próximo como ele é. Os preceitos do Professor de August, também passam uma mensagem de aceitação e compreensão. – O filme é lindo e vale a pena ser visto e indicado.

 

Deixa aqui nos comentários o que você achou da resenha, se leu os livros e quais as semelhanças que encontrou ou não encontrou entre a obra literária e o filme. Todo comentário é bem vindo! ♥

 

3 thoughts on “Resenha: Extraordinário | Filme

  1. Adorei a resenha! Concordo plenamente com a dose certa de humor e drama que foi colocado, por mais que apresentado em um cenário muito otimista, as mensagens são bem passadas e proporcionam reflexões para quem assiste. E o Chewbacca era bom demais kkk

  2. Eu vi sobre esse filme esses dias, e eu fiquei feliz porque eu amo o ator principal, acho ele carismático,um ótimo ator e super talentoso. Julia também é uma atriz e tanto! fiquei curiosa para assistir o filme, bullying ainda é um caso sério.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *