Resenha: Kingsman – O Círculo Dourado

Kingsman

Aclamado pelo público e nem tanto pela crítica, Kingsman – O Círculo Dourado apresenta a continuação da história de Eggsy na Kingsman, uma organização de agentes secretos. Essa Terça com Pipoca, apresentará a resenha desse segundo filme e possível franquia hollywoodiana. Onde apesar dos pesares, me surpreendeu de diversas formas. Com seus atores escalados, a qualidade da filmagem e o realce de cores que teve continuidade – e foi brevemente comentado na resenha do primeiro filme. Kingsman – O Círculo Dourado pode te surpreender.

Após salvar o mundo no primeiro filme, Eggsy ingressa oficialmente na Kingsman, se tornando um agente secreto após a perda de seu mentor. Tudo ocorria praticamente bem até que algo inesperado acaba com a maioria dos agentes da organização. O plano arquitetado pela chefe do maior cartel de drogas do mundo, Poppy (Julianne Moore) é basicamente dominar o mundo e ser reconhecida pelo seu grande trabalho realizado como CEO de drogas. Porém, Eggsy não vai deixar barato.

A primeira cena do filme já começou me surpreendendo pela qualidade da filmagem, pela ação e violência. As artimanhas nos aparatos tecnológicos também mantem a qualidade dos clássicos de filmes de espiões. Com relação a história. Após a perda trágica de diversos agentes. Eggsy e Merlin embarcam para o outro lado do oceano para encontrar a organização norte-americana, Statesman. Aqui temos a participação do agente Tequila (Channing Tatum), onde confesso ter ficado um pouco desapontada com a pouca participação e devo dizer, baixa importância do personagem.

A grande revelação do filme, o grande drama perdido em mais ou menos três cenas foi o spoiler que o próprio pôster do filme dá. Preciso fazer uma pausa nessa resenha para expor a minha indignação com os publicitários e produtores de divulgação de filmes – o que está acontecendo com esse povo? A algum tempo eu desisti de assistir a Trailers de filmes, principalmente dos quais eu quero/queria muito ver. Pelo simples motivo que as melhores cenas, piadas, dramas e afins são escancarados nos Trailers. Porém, Kingsman foi além dessa incrível monstruosidade, eles colocaram o maior spoiler da vida no pôster! E essas cenas que comentei aqui no começo do parágrafo, teriam um grande peso se não fosse essa decepção.

Após esse drama que foi perdido, a história continua nos Estados Unidos e podemos passar para a vilã interpretada por Julianne Moore. Percebi que Kingsman tem uma queda por vilões caricatos, mas diferentemente de Valentine – o vilão do primeiro filme. Poppy mexe com um assunto delicado do nosso mundo: o uso de drogas. Confesso que gostaria que a vilã fosse mais explorada, principalmente onde encerra-se a sua participação. Que acabou de forma rápida e sem nenhum peso. Já que seu braço-direito (surge-se uma piada para quem assistir ao filme), faz a maior parte do trabalho sujo e gera muito mais ódio do público do que a vilã em si.

Encerrando-se essa análise, alguns personagens foram muito pouco explorados, como dito. Com histórias supérfluas, me deixou desapontada pois muitos desses são atores de peso. Outro ponto do filme é a participação de Elton John, que eu achei sensacional! As piadas estavam afiadas como no primeiro filme, as cores de contraste também. Sendo aplicadas além do entorno da vilã, como também em Eggsy e em seus ternos. Por fim, chegamos à conclusão que Kingsman – O Círculo Dourado, é sim um filme que vale a pena assistir e perder algumas risadas. Ainda assim, talvez o primeiro seja melhor e alguns ganchos deixam uma brecha para um próximo. Embora talvez, apenas talvez, não deva ser produzido pelas críticas negativas da mídia. Já que essa produção não agradou muito.

Mas e você? Já assistiu a Kingsman – O Círculo Dourado? Conta pra mim o que achou, se a crítica da mídia foi exagerada e se realmente vale a pena a produção de um terceiro filme.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *